domingo, 28 de novembro de 2010

Procura-se a hora perfeita

19


Andei pensando hoje, na minha habitual monotonia de domingo, qual a seria minha hora perfeita? Aquela hora, de um tempo no passado longínquo ou no passado distante, no presente de ontem ou de umas poucas horas atrás. São poucos os momentos da vida que ficam exatamente resgistrados em nossas memórias. Esses poucos momentos ou são perfeitamente eternizados ou ficam tragicamente gravados.

Como fiquei pensando nas horas perfeitas, e somente nelas, descartei qualquer hora que me fosse desagradável e que dela tivesse recordações. Então me vieram à mente algumas horas, muito distantes ou ligeiramente próximas, horas que gostaria de poder reviver sempre, quando eu bem quisesse. Me veio à mente a chuva batendo na janela de minha antiga casa, enquanto minha mãe e eu usávamos forminhas geométricas para cortar a massa dos biscoitos de nata que ainda não haviam ido ao forno, mas que eu, no auge dos meus 4 anos, ansiava por devorá-los assim que saíssem do forno.

Me veio à mente as tardes inteiras passadas à beira da janela da casa de minha amiga Mariana, enquanto nos divertíamos brincando com os transeuntes que passavam cabisbaixos, já cansados de andar por essa vida que para nós era nova como nossa idade de doze anos. As tardes passadas na fazenda, subindo em árvores e brincando na casa da piscina, lanchando por volta das seis da tarde e chegando exausta em casa.
Lembrei-me também dos intervalos das aulas, onde encontrava todas as minhas amigas e colocávamos a conversa em dia, nos divertíamos ao redor da mesma mesa todos os dias. Não dava muito valor à isso antes, por ser muito habitual. Mas com os anos perdeu-se essa habitualidade e cada uma seguiu seu caminho. Reunir todas as minhas amigas ao redor da mesma mesa é algo raríssimo de acontecer. Sempre está faltando uma.

Me veio à mente o dia em que ganhei minha coelha, o dia que ganhei meu cachorro, o dia que meu cachorro se enroscou na rede de vôlei no quintal de casa...
Me veio à mente os jantares em família, o reencontro com pessoas queridas há muito não vistas, momentos simples que marcaram muito. Mas o que dentre todos esses me veio primeiro à mente foi o primeiro beijo que dei no amor da minha vida. Entretanto, essa hora posso reviver com frequência, pois embora tenha passado a surpresa do primeiro beijo, terei sempre os mesmo beijos dados sempre pelo meu amor, podendo reviver esse momento sempre que ela estiver ao meu alcance!

Ando pensando nessas horas como forma de poder revivê-las, quem sabe assim consigo alegrar um pouco meus dias. Será que sou eu ou todos os dias estão ficando cada vez mais parecidos e carentes de sentido? Enfim...Se você cavasse fundo na memória, qual seria a sua hora perfeita?

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

O que marcou os anos 90!

50


Olá pessoas. Não tinha absolutamente nada para fazer hoje a tarde, estava completamente largada pelo tédio e pelas tonturas que ando tendo. Deve ser por culpa desse calor infernal. Enfim, comecei a pensar em algo para escrever no blog e não veio nenhuma inspiração. Nenhum grande texto um uma ideia para escrever um texto. Uma pseudo ideia que fosse. Mas não surgiu nada. Então pensei em postar algo legal, light e nostálgico para aqueles que, assim como eu, viveram sua infância nos anos 90. Procurei postar os fatos que mais marcaram, tanto na história do país como nas nossas brincadeiras infantis e programas de televisão! Espero que gostem!

Programas de Televisão

1- Topa Tudo por Dinheiro

Programa de Silvio Santos do ano de 1991, fez enorme sucesso pelo teor e pelo jingle da atração! "Ritmo de festa que balança o coração, festa divertida, colorida de emoção, dia de alegria, então sorria e vem pra cá, a festa continua, a casa é sua, pode entrar! Hey, hey, hey hey hey!
Ritmo, é ritmo de festa! Ritmo, é ritmo de festa! Quem quer dinheiro? Olha o aviãozinho!!!!!"



2- Em nome do amor

Outro programa da grade de Silvio Santos que estourou nas noites de domingo. Começou a ser exibido no ano de 1994 e, embora muitos de nós hoje não adimitamos, todos já tiveram seus momentos de Em nome do amor!rs

3- Você Decide

Programa de grande sucesso na rede Globo de televisão, ficou no ar do ano de 1992 até 2000. Quem não gostava de escolher o final das inusitadas histórinhas né!? Vários atores e apresentadores globais passaram pela bancada do Você Decide: Antônio Fagundes, Tony Ramos, Walmor Chagas, Raul Cortez, Carolina Ferraz, Renata Ceribelli, Celso Freitas e Luciano Szafir foram os que ficaram por mais tempo no programa.


4- Sai de Baixo

Exibido de 1996 até o ano 2002, o programa se tornou um clássico das noites de domingo das família brasileiras. Rendeu, por longos anos, boas risadas!

5- Passa ou Repassa

Admita, você também já assistiu ao menos um desses programas com o Celso Portiolli no comando! Dá-lhe torta na cara!

6- Castelo Rá-Tim-Bum

Nossa, que delícia perder tardes inteiras dos meus 9, 10 anos assistindo a muitos episódios de Nino e sua turminha!! Bons tempos!

7- O Fantástico Mundo de Bobby

Um dos meus desenhos preferidos na infância, adorava viajar com o Bobby nas suas maluquices...Um dos melhores desenhos de todos os tempos! Foi transmitido pelo SBT, de 1990 a 1998, e os personagens principais eram: Tio Ted, Martha, Derek, Kelly, Tia Ruth, Jackie e Roger. Além do Bobby, dã.


8- Os anjinhos
Rugrats ("Os Anjinhos" no Brasil e "Os Meninos do Coro" em Portugal) foi uma série americana, produzida pela Klasky Csupo e transmitida pela Nickelodeon. O desenho durou de 1991 até 1994 e retornou em 1997 até 2005. Lembram dos bebês Tommy Pickles, Chuckie Finster e os gêmeos Phil e Lil?





9- O mundo de Beakman
Muito popular por tornar a ciência divertida, “O Mundo de Beakman” foi transmitido no Brasil pela TV Cultura entre 1995 e 1996. No programa, o professor Beakman lia cartas de "telespectadores fictícios” e explicava como reproduzir as experiências em casa. Beakman era acompanhado pelo seu rato de laborátorio Lester e das assistentes Josie, Liza e Phoebe.


10- Fantasia

Lembram dessa musica... "Calor, céu azul, verde mar, vem comigo, nesse dia lindo... fantasia no ar"?!?! E as caras e bocas que as meninas faziam no palco para contar o tempo? Muitooo trash!rs Mas eu assistia ;p


Propagandas

1- Poupança Bamerindus - Quem não se lembra do jingle inesquecível desse comercial!? "O tempo passa, o tempo voa e a poupança Bamerindus continua numa boa!". Hoje nem existe mais o Bamerindus existe?


2- Sadia 50 anos - Considerado por muitos o comercial mais lindo de todos os tempos, inclusive pela minha mãe!

3- Sukita - Quem não se lembra do tio da Sukita? Ficou pra história!


Filme

1- Meu primeiro amor: Filme muito fofo que marcou época com o astro infantil daquele tempo, Macaulay Culkin, como o menininho que morria ao final do filme.

Brinquedos

1- Cara Maluca - Que máximo relembrar esse brinquedo...O timer ativava e a gente corria pra montar o rosto de acordo com a figura...Que saudadeee!

2- Pega peixe - Era o grande atrativo das brincadeiras infantis! Eu amava ficar pescando os peixinhos com a varinha de imã na ponta!


3- Bichinho Virtual - Quem viveu a infância nos anos 90 e não teve um desses definitivamente não teve infânciaaaa! Nossa quanta perda de tempo. Tratava esses bichinhos tecnológicos como filhos! A febre cmeçou em 1996!

4- Tazos - Vinham nos salgadinhos da Elma Chips! Muitas disputas por tazos!


5- Super Massa - Quanto brincar de massinha naquele tempo! Nem me lembro qual desses eu tive, se foram todos...ou só um!Mas me lembro muitoo desses brinquedos!



6- Duende Mágico - O coisa feia!

7- Querido Pônei - Gente, eu amava esses cavalinhos coloridos! Nossa, quanto brincar com eles...tive alguns desses pôneis por muitos anos...Que saudaaade!

8- Cara a cara - Não sei que tanto que eu via nesse jogo, mas achava um barato jogar Cara a cara com a minha prima por horas a fio!

9- Super Nintendo - Mario Bros! Todo mundo aqui jogava enlouquecidamente né!?


10- Detetive - Quem será que matou, a Dona Branca ou o Cel. Mostarda? Hehe.

11- Kinder Ovo - Era mania entre a galerinha. Na época de nossa remota infância o Kinder era bem baratinho, e vinha com surpresinhas bem fofas! Me lembro dos leões, das tartarugas, estátuas e da turminha dos Flinstones!

12- Geloucos - Quem se lembra deles? Nossa, marcou muito a minha infância mas ninguém mais se lembra dos geloucos!! Que triste!

13- Geleca - Eu adorava, tive diversas cores desta meleca aí, mas lembro que com o passar do tempo ficava muito nojenta, mais fedida ainda e com um monte de sujeira grudada! Eca!


Moda das crianças daquele tempo

1- Melissa - Nem de perto era bonita como agora, mas marcou toda uma geração com certeza! A Melissa continuou nesse formato por muito tempo, antes de ter novos modelos!

2- Brinco de Adesivo - Amava comprar esses brinquinhos. Que coisa cafona.

3- Chupetinhas - de colocar na corrente! Amava as minhas coloridinhas!

Bommmm gente... Acabei me prolongando demais nesse post, mas é tão legal rever essas coisas tão antigas, que fizeram parte da minha infância, que acabei me perdendo em meio à tantas recordações! Espero que tenham gostado! Caso lembrem de algo que não postei, me relembrem no comentário!

terça-feira, 23 de novembro de 2010

O peso do silêncio

11



Impossível caminhar sem sentir. Naquela noite, o ar estava denso e pesado, o céu estava baixo, atrapalhando a caminhada. As ruas, antes movimentadas, não emitiam um ruído. Tudo era silêncio no mundo de Ana. O único barulho audível era o roçar da mochila pendurada nas costas com a calça jeans que vestira.
No começo da caminhada quase não notou. Entretanto, conforme foram passando os minutos, o silêncio preencheu mais a noite do que todos os barulhos do mundo que pudessem ser feitos. O silêncio carregou o ar, deixou a caminhada pesada.

Ah, e o barulho da respiração... Se tornou ofegante conforme Ana foi percebendo que só ouvia o barulho que ela própria emitia. Estava tão acostumada com o barulho dos outros que foi difícil se ver inteiramente só, só com seu barulho e mais nada. Parecia que haviam imposto uma ordem de silêncio, o silêncio era uma lei que até o vento acatara. Olhou o caminho à frente e se espantou. Já tinha andado tanto, caminhado tanto...Por que ainda faltava tanto a percorrer? Começou a acelerar o passo, mas à medida em que acelerava, o caminho se estreitava, o silêncio aumentava e sua respiração ofegava cada vez mais. Passou pelo estado do receio, do medo, da neurose. Agora estava paranóica. Alguém a seguia. Alguém fizera o silêncio da noite estar tão ruidoso. Mataram a todos, estavam todos mortos no mundo. Ela sobrevivera sozinha, esqueceram-se dela. O pânico saltou em seus olhos e o coração disparou. Nem carros passando, nem as folhas das árvores se mexendo. Tudo acabou. Foram-se as pessoas, os animais, os carros, o vento e o ar. Esqueceram-se dela.

Chegou à porta de sua casa e procurou apressada as chaves na mochila. Conseguiu localizá-la só com o tato em meio a alguns outros badulaques. Abriu o portão e foi apressada em direção a porta. O silêncio pareceu se esvair um pouco, o ar descalibrou. Abriu a porta da sala. Tudo como sempre. Deu boa noite aos pais, que assistiam conformados as diárias notícias do jornal das oito,conversando, enquanto o cachorro latia. Fez um carinho nele e foi para o quarto. Quem sabe ali não conseguisse ter um pouco de silêncio, mas um silêncio com barulhos, não o silêncio absoluto no qual estava e que não permitira a ela ouvir seus próprios pensamentos.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Um pouco de arte...

20

Hoje vou falar aqui de um dos meus pintores preferidos, Joseph Mallord William Turner. William Turner nasceu no ano de 1775 em Covent Garden, no interior da Inglaterra. Logo na infância, o pequeno Joseph teve seu talento reconhecido pela família, que passou a vender suas pinturas. A fama se espalhou e Turner passou a receber diversos convites para desenhar prédios em perspectivas e acabou ingressando como estagiário na Escola de Belas Artes da Royal Academy. Pouco após expor sua primeira obra, foi convidado para associar-se à entidade e logo após acabou montando sua própria galeria, permanecendo como professor da Royal Academy até o ano de 1837, quando pediu demissão. Continuou pintando e viajando pelo mundo, até falecer em Chelsea, no dia 19 de dezembro de 1851.

Turner procurava fazer as perspectivas de suas pinturas com fumaça, neblina, nuvens e sombra, inspirando-se sempre em paisagens naturais, com mares e florestas. Segundo Cyrus Redding, "Turner viu algo no aspecto do mar que ainda não havia sido notado". O pintor se tornou incompreensível para muitos de seu tempo, vezes sendo tratado por impressionista, vezes por expressionista e outras por futurista estético. Entretanto, não ligando muito para a escola que seguiria, Turner mergulhou-se nos estudos sobre a cor, para ele a grande protagonista das pinturas.

A seguir, algumas das mais famosas obras do pintor:

Chuva, vapor e velocidade - O grande caminho de ferro


Em uma viagem que o pintor realizava, teria observado pela janela um trem atravessando uma ponte, identificando-a como sendo a de Brunel, sobre o rio Tâmisa. Fascinado com a imagem, fechou os olhos até memorizar a cena para depois poder colocá-la na tela. Nessa pintura podemos ver a abstração de Turner com relação à forma convencional, mostrando o desapego das formas dos elementos. A pintura foi realizada nos primórdios do Realismo, no ano de 1845.

Pescadores em alto mar / Pescadores no mar




As duas obras foram pintadas no mesmo ano, por isso no mesmo ítem. Tema de diversos trabalhos de William Turner, o mar sempre o intrigou muito e fez com que desenvolvesse suas técnicas de pintura - revolucionárias para a época - como os jogos de luz e sombra que fazia, dando um aspecto único para suas telas. Nota-se que o brilho e a sensação de movimento são fatores únicos e indispensáveis da obra de Turner.

O Grande Canal, Veneza

A primeira visita empreendida por Turner à Itália foi no ano de 1819. Ficou impressionado com o país e pela sua arte, mas o local que o encantou por completo foi Veneza. A forma como a luz refletia nos canais de água que passam pelas ruas da cidade fez com que o pintor visse ali toda a arte que precisava encontrar. Apesar de ser o mas conhecido, esse não é o único trabalho do artista sobre Veneza, tendo pintado ainda muitos outros. Nenhuma das obras sobre a cidade foi exposta enquanto o pintor era vivo.

Dido Construindo Cartago

Turner tinha uma particular afeição por essa pintura, que considerava a sua obra prima. Na redação de seu primeiro testamento tinha indicado como vontade expressa ser sepultado envolto nessa obra. Após abandonar essa idéia, Wlliam nunca a vendeu e deixou-a de herança à National Gallery com diversas condições, de ser exposta ao lado de alguns quadros de Claude Lorrain e outros seus. Por diversas vezes Turner pintou episódios históricos como esse, mas sem dúvida sua obra prima nesse quesito é a obra Dido Construindo Cartado, de ano de 1815.

Roma Moderna - Campo Vaccino
Recentemente, essa obra foi adquirida pelo Getty Museum, da Califórnia. Em entrevista à jornais americanos, o curador da galeria, Scott J. Schaefer, não duvida que tenham feito um bom investimento: "Esse quadro supera o próprio Turner, é seu melhor trabalho, um Turner em sua melhor forma".
Alguns trabalhos do paisagista inglês - considerado por muitos como um dos precursores do impressionismo - sofreram com a má conservação. E enquanto, em 2006, a obra Glaucus and Scylla teve ser devolvida pelo Kimbell Art Museum à família que o possuía por motivos políticos; o destinho de "Roma Moderna" é o contrário.
A obra deixa os seus primeiros donos, que a mantiveram em ótimo estado de conservação (um dos motivos para o quadro alcançar tão alto valor), e passa agora a pertencer ao Getty Museum, que fica na Califórnia.

Essas obras que coloquei aqui foram só para mostrar um pouquinho, uma parte mínima, um quase nada do pintor que deixou mais de 19000 telas pintadas e 3000 aquarelas! Fica aí a dica para quem gosta de arte e para quem não gosta, começar a apreciar!

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

O que as plásticas podem fazer

19

A postagem de hoje não tem absolutamente nada a ver com o perfil do meu blog, mas eu tive que postar isso...Fiquei abismada com o estrago que cirurgias plásticas fizeram no rosto dessas pessoas!!Logicamente que não foram uma ou duas...vai saber quantas já não foram feitas...E o pior é que depois que fica ruim, vão fazendo plásticas para consertar o erro e acabam deixando tudo mais errado ainda! Fora as plásticas horrendas que também foram aqui postadas, postei algumas que melhoraram as pessoas e outras que mudaram completamente sua fisionomia.


A top top é a socialite Jocelyn Wildenstein, que foi eleita a celebridade mais horripilante do mundo. Também pudera, Jocelyn, que tinha um rosto normal, foi fazendo milhares de plásticas para manter o marido e acabou se transformando num ser guturalmente feio. Jesus, que medo!



Outro caso absurdo é o de Jack, mãe do famoso ator Silvester Stallone. Jackie era uma jovem bonita, mas começou a fazer plásticas e se transformou nisso. Será que ela tentava ficar parecida com o filho? Acho que obteve êxito!



A cantora Rosana, de "Como uma Deusa", de Deusa não tem mais nada. Com o passar do tempo e das plásticas, acabou se transformando no que vemos hoje. Não está tão ruim quanto as outras, mas seu rosto piorou, e muito.



Uma celebridade do momento que também modificou muito a aparência, apesar de jurar de pés juntos que nunca fez plástica alguma, é a cantora Fergie, do Black Eyed Peas. Fergie não é feia, está longe disso, mas será que precisaria de tantas plásticas?


Nossa...Então a beleza de Zeta Jones é puramente artificial! Vejam a fotinho...




Outra integrante da listinha é a atriz Megan Fox. Como uma pessoa consegue mudar tanto a fisionomia do rosto!?É outra pessoa, o nariz mais afinado, os lábios mais carnudos, os olhos mais puxados...Mudou tudo!


Agora um homem, Mickey Rourke, anteriormente tido como símbolo sexual, acabou com essa imagem, a triste imagem de quem, não contente com o título que ostentava, procurou na plástica como ficar mais bonito (ou mais sexual) e acabou assim.
Ah, só pra complementar, a mulher mais famosa do mundo só precisou de um botox e um peeling pra remover manchas indesejadas, vejam só que linda que ficou!